CURIOSIDADES

Dia de Muertos, é uma celebração que ultrapassa o México, sendo antes uma experiência artístico-cultural, com base espiritual. É mais conhecida como uma festividade mexicana, mas que também se estende pela América Central, Estados Unidos onde alguns atribuem ao Halloween uma adaptação americana do Día de Muertos, e no Brasil, onde é conhecido como Dia de Finados. É uma festa que combina alegria com solenidade, em que passou por um processo de sincretismo. A origem da celebração do Día de Muertos no México é anterior a chegada Espanhola. Principalmente entre as etnias Mexica, Maya, Purépecha, Nahua e Totonaca. Era realizado inicialmente próximo ao  que hoje seria o mês de agosto, e durava um mês completo. Tinha como representação Mictecacíhuatl, conhecida como a "Dama de la Muerte", atualmente esta representação se dá através da "La Catrina" era uma fusão que celebravam a vida das crianças e as vidas de parentes falecidos. Para estes povos antigos o destino das almas dos mortos estava determinado pelo tipo de morte que haviam tido e não por seu comportamento na vida como é a visão Católica. Um destes destinos seria Tlalocan um lugar de repouso e de abundância, eles eram enterrado como sementes, para germinar. Outro destino era Omeyocan, um lugar de gozo permanente, em que se festejava o sol, havia música, cantos e danças. E por fim outro destino era Mictlán este era o destino das pessoas que morriam de causas naturais era um destino tortuoso e difícil, para chegar a este destino o defunto era enterrado com um cachorro, o qual ajudaria a cruzar um rio e chegar a Mictlán, e entregar, como oferenda, atados de canas,  perfume, algodão. As crianças tinham um lugar especial chamado Chichihuacuauhco, onde se encontrava uma árvore de cujas ramas gotejavam leite, para que se alimentassem. Com a chegada dos Espanhóis a tradição incorporou costumes medievais católicos, e apareceram elementos novos na elaboração de oferendas e altares. O ponto principal desta tradição é a crença de que os espíritos dos defuntos regressam a este mundo para conviver novamente neste mundo neste dia. E seus familiares apoiam o espírito a seguir seu destino através das representações do altar. Sendo as oferendas uma grande expressão artística, cercada de simbologias, desde a disposição dos objetos a maneira que são representados.  Estas oferendas são dispostas em um altar que remetem a cosmovisão ancestral com elementos modernos como a inclusão de pão por exemplo. Esta celebração atingiu o nível de importância tal que em 2003 a UNESCO declarou o Día de Muertos como Patrimônio Imaterial da Humanidade.